segunda-feira, 24 de junho de 2013

Tornar-se luz

Diante de um espelho
Aquele momento
Em que você deseja
Tornar-se luz

Quando você percebe o quanto torpe é o ser
O quão repugnante é juntar-se a ele
Como se libertar seria vital para viver
Sutilmente aceitando-se por amor

Traços errados, desproporcionais
Por que algo me falta?
Talvez pequenos demais
Se é correto dizer

Julgo-me com disparidade
Crime hediondo buscar pelo bem
Quando maltratam sua benignidade
O furor eclipsa a luz que tens
Então, nós, seres frágeis
Tornamo-nos vassalos da dor
Podemos sentir de formas ágeis
Infinitos modos de deixar sem solução

Sangue, cortes, bebidas
Isso por quem não pode ver a luz?
Em falta, pede a loucura como amiga
E debilita a sua, a sua esperança?

Almejo ser paz, espécime das estrelas
Almejo me refugiar nos cantos das cores
Ser protegida e abraçada por amores
Apenas para minha alma se elevar.


Diante de um espelho
Aquele momento
Em que você deseja
Tornar-se luz


Lily.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ocorreu um erro neste gadget

Arquivo do blog